top of page

Os desafios de Araras com o tratamento de esgoto e reservatórios

O último reservatório de água construído em Araras foi a barragem no Sobradinho “Água Boa” há mais de 15 anos.


É lamentável ouvir sobre crimes ambientais em uma cidade. Os crimes ambientais são violações das leis que protegem o meio ambiente e podem causar danos significativos à natureza e à saúde das pessoas. Esses crimes podem assumir várias formas, incluindo poluição da água e do ar, desmatamento ilegal, descarte inadequado de resíduos, ausência de tratamento de esgoto, entre outros.


Quando ocorrem crimes ambientais em uma cidade, é importante que as autoridades locais ajam de forma rápida e eficaz para investigar e responsabilizar os responsáveis. As agências ambientais e a polícia geralmente têm jurisdição sobre esses casos e podem trabalhar em conjunto com a população para combater e prevenir tais crimes.


Os vereadores são os representantes do povo e deveriam fiscalizar os indícios de crime ambiental, apresentando soluções e cobrando providências.


No último parecer do Ministério Público foi apresentado que existe resíduo de efluente industrial sendo despejado in natura no sistema hídrico local e que nada foi adotado pela administração pública para resolução e inclusive o T.A.C (Termo de Ajustamento de Conduta) não foi cumprido conforme combinado.

“https://www.mpsp.mp.br/w/servi%C3%A7o-de-esgoto-em-araras-descumpre-tac-e-passa-por-interven%C3%A7%C3%A3o-judicial”


Uma forma efetiva de fácil acesso seria buscar recursos por meio dos programas de financiamento, estadual, federal ou internacional que resolveriam de imediato dois grandes desafios que há décadas nenhum político foi capaz de solucionar em nossa cidade:


1) Construção de uma estação de tratamento de esgoto nos moldes exigidos e aconselhados pelos órgãos ambientais;


2) Ampliar a quantidade de reservatório (represa) de água em área que o terreno tenha declives e taludes naturais que favoreçam a sustentação da barragem.


A conscientização e a educação ambiental desempenham um papel crucial na proteção da vida em nosso planeta.


É importante envolver a comunidade, as escolas, o poder público e as associações no plano de preservação e recuperação do meio ambiente, fornecendo informações sobre práticas


É fundamental que as leis ambientais sejam aplicadas de forma rigorosa e que haja punições adequadas para os infratores;


A autoridade responsável em controlar, fiscalizar, monitorar e que trabalha preservando e recuperando a qualidade das águas, do ar e do solo é a CETESB (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo).


Em Araras o problema com o tratamento de esgoto é recorrente e nenhuma ação concreta vem sendo tomada.


No dia 16/03/2023 o IBAMA autuou e aplicou multa pesada no valor de R$ 22 milhões de reais por deixar de adotar medidas de contenção contra o risco ou dano ambiental,


Para aplicação da multa, foi considerado o não atendimento às exigências do órgão ambiental competente que visa a implantação de um sistema de tratamento de esgoto adequado, devidamente licenciado, capaz de tratar a totalidade dos esgotos gerados no município de Araras/SP.


A expectativa é que cada ararense possa se envolver com as demais ONG’s que sinalizaram por diversas vezes as irregularidades do SAEMA e que cobrem dos vereadores, presidente da autarquia e o prefeito medidas eficientes para os desafios do nosso município.


Autoria: Murilo Coghi - (Administrador e Gestor Público)





Comments


bottom of page