top of page

Policiais civis invadem e reviram casa por engano em Araras, diz família: 'quebraram tudo'

Matéria da EPTV Central


Moradores de uma propriedade rural afirmam que a Polícia Civil de Araras (SP) invadiu e revirou o local por engano durante um cumprimento de mandado de busca e apreensão, na madrugada de segunda-feira (29).


Os policiais descobriram depois que a propriedade não pertencia ao procurado pela Justiça.


A Secretaria de Segurança Pública (SSP) informou à EPTV, afiliada da TV Globo, que foi "instaurada uma apuração preliminar na 9ª Corregedoria Auxiliar para apuração dos fatos".



Ação policial

Os policiais ficaram no local das 5h às 10h. De acordo com o trabalhador rural, Genivaldo de Jesus Farias, as viaturas eram do Grupo de Operações Especiais (GOE).


A família percebeu a presença dos policiais porque os cachorros começaram a latir. Do lado de fora da casa, havia três viaturas e drones. "Eles falaram que era a polícia, botar a mão para cima, que era uma busca e apreensão de drogas e armas", disse Farias.


O morador disse aos policiais que não estava entendendo a ação policial e que, provavelmente, eles estavam no local errado. Com a situação, a mulher de Genivaldo e os filhos, que começaram a chorar, também saíram da casa.


Móveis e objetos quebrados

Os policiais também pegaram enxadas e cavaram a parte de terra para ver se encontravam drogas ou armas no terreno. Eles pediram que a família entregasse os aparelhos celulares.

"Apontaram [a arma para a gente]. Eles estavam armados tudo aqui dentro de casa. Uns par deles, nem sei quantos policiais vieram".


"Derrubaram tudo. Entrou dentro do quarto lá, quebraram tudo, derrubaram caixa de som, quebrou os móveis das minhas filhas do outro quarto lá, ela estava com o namorado. Ela veio tudo com uma roupa de dormir. Na hora que eles chegaram aqui, viram que ela não estava com uma roupa decente para eles ficarem aqui, aí eles mandaram a minha esposa ir buscar uma roupa pra ela".


Trauma

As crianças ficaram nervosas e assustadas com a presença dos policiais na casa da família. "Elas choram até hoje. A miudinha pergunta 'pai, você vai preso, pai?'".


Os policiais perceberam que o local da operação estava errado apenas ao final das buscas na propriedade.


"Ele [o policial] disse assim pra mim: 'será que eu vim no sítio errado?'. Eu disse: atrás do que vocês vieram, eu acho que está errado, porque aqui vocês não vão achar'. No documento, estava outro nome, que não tem nada a ver comigo, nem endereço".


TEXTO E FOTO: REPRODUÇÃO G1

 


Comentários


bottom of page