top of page

Sindsepa denuncia precarização da educação em Araras ao Ministério Público

O Sindsepa (Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Araras) publicou em seu site que realizou diversas visitas às unidades de ensino para dialogar com os trabalhadores e conhecer as demandas das escolas durante a semana de volta às aulas, ocorrida de 25 a 29/07.


De acordo com informações do Sindicato, entre as dificuldades apontadas pelos profissionais estão: falta de funcionários de apoio como monitores educacionais, estagiários e serventes. “Ao invés da Prefeitura realizar concursos e efetivar monitores educacionais e serventes, tem gasto dinheiro contratando empresas terceirizadas para fornecer pessoal para desempenhar essas funções”.


Para o Sindsepa, a terceirização compromete a qualidade da educação, uma vez que o projeto pedagógico de cada escola depende da ligação direta e forte com os trabalhadores das instituições. “Além disso, os processos de licitação para contratação de pessoal são lentos, fazendo com que esses problemas avancem durante todo ano letivo”.


A publicação do Sindicato apontou ainda que em uma das unidades visitadas a coordenadora pedagógica havia deixado suas atribuições acadêmicas para auxiliar a servente/cozinheira na preparação dos alimentos durante toda a semana de volta às aulas, causando enorme prejuízo no desenvolvimento das atividades de ensino da escola.


Outra situação verificada pelo Sindisepa que para a entidade é um absurdo foi encontrado durante uma visita a unidade no Jardim das Orquídeas. “Apesar da linda festa de inauguração, a escola não possui fogão, geladeira ou freezer, sendo que o atendimento aos alunos começou com equipamentos emprestados às pressas de outras unidades”.


Durante a visita foi observado que apesar da boa estrutura física, a educação só está acontecendo por causa do comprometimento da equipe que lá está, pois não há qualquer suporte da Secretaria da Educação quanto às dificuldades encontradas.


Diretores do Sindsepa divulgaram que além da falta de recursos materiais e funcionários de apoio, a escola não tem secretário, faltam professores PEB I e não há nenhum professor PEB II desempenando as disciplinas específicas. “O que gera perda aos alunos e aos profissionais que não tem garantido seu horário de trabalho individual (HTPI). Uma das turmas do infantil está funcionando como sala multisseriada, pois novos professores não foram convocados”.


Vale a pena ressaltar que denúncias já foram feitas ao Ministério Público anteriormente sobre falhas observadas. “Diante de tais absurdos o Sindsepa fará complementação, visando assegurar a qualidade da Educação oferecida à população e condições aceitáveis de trabalho para o desempenho das funções dos servidores”.


O outro lado

A reportagem da Gazeta Ararense entrou em contato com a Prefeitura de Araras para verificar os fatos na noite da última segunda-feira (1º), mas até o fechamento desta edição não obtivemos resposta.

Comentarios


bottom of page