top of page

Vereador Marcelo de Oliveira é acusado de homofobia por fala em sessão solene

O vereador Marcelo de Oliveira (REPUBLICANOS) está no centro de uma polêmica após ser acusado de fazer declarações homofóbicas durante uma sessão solene da Câmara Municipal. O evento foi organizado pela frente parlamentar cristã, presidida pela vereadora Missionária Maria (PSD).


Durante seu discurso, Marcelo criticou a união homoafetiva e a inclusão de famílias LGBTQIA+ nas escolas. Ele expressou sua preocupação com o que considera a "desconstrução" dos conceitos tradicionais de família.


"Olha que ponto chegamos, ter que instituir na cidade o dia da família, porque lá na frente talvez seja desuso usar a palavra família como hoje já é desuso usar pai e mãe na escola", afirmou. Marcelo também questionou como celebrar o Dia dos Pais e o Dia das Mães nas escolas, comentando: "Como fica a cabecinha da criança que falam que chegou a mãe buscar a criança e vai ver é um homem barbudo?"


As declarações do vereador provocaram forte reação e foram amplamente criticadas. O ativista Tiago Vieira manifestou sua indignação nas redes sociais, afirmando que Marcelo deve responder criminalmente por suas falas. "Nós temos família sim!" declarou Vieira, enfatizando a necessidade de combater discursos discriminatórios.


Este incidente ocorre pouco tempo após outro episódio de homofobia na Câmara Municipal, envolvendo a vereadora Deise Olímpio (PL). Em uma sessão anterior, Deise também fez comentários considerados ofensivos à comunidade LGBTQIA+, gerando repercussão estadual e aprofundando o debate sobre a discriminação no legislativo.


As falas de Marcelo de Oliveira e Deise Olímpio refletem um cenário de tensão crescente sobre os direitos e a inclusão da comunidade LGBTQIA+ no ambiente legislativo.

Kommentare


bottom of page